Escolha uma Página

 “Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos”. Esse é o primeiro artigo da Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH). Há 72 anos, no dia 10 de dezembro de 1948, a DUDH foi proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas, em Paris. O documento nasceu como um sopro de esperança contra os horrores cometidos na Segunda Guerra Mundial. A DUDH foi assinada por todos os países-membros da ONU, ou seja, os 193 países que fazem parte da Organização das Nações Unidas. Por ter sido um dos fundadores da ONU, o Brasil foi um dos 48 países que votaram a favor de sua aprovação, sendo um dos primeiros a ratificar a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Desde sua criação, a Declaração Universal dos Direitos Humanos tornou-se uma norma a ser alcançada por todos e foi traduzida para mais de 500 idiomas. Constituições de muitos Estados e democracias recentes foram inspiradas pela DUDH. Apesar de não ter havido outra guerra daquelas proporções desde então, diariamente, muitas pessoas lutam contra a fome, a violência, a desigualdade e o preconceito. Também persiste a batalha por dignidade, justiça e direitos, o que se fez ainda mais necessário no atual cenário, onde a devastação causada pela fome e pela miséria ficaram ainda mais aparentes. 

Confebras celebra essa data e reafirma o compromisso do Cooperativismo Financeiro  em defender o direito das pessoas a uma vida mais digna e justa. Essa é uma das premissas cooperativistas, pautada por valores e princípios morais, entre eles a honestidade, solidariedade, equidade e transparência.  

A cooperação, a educação, a formação e o interesse pelas comunidades são valores que estão intrínsecos no cerne das cooperativas financeiras. O respeito pelos direitos humanos é uma construção diária, um movimento contínuo, e o cooperativismo, mais do que qualquer outro segmento de negócios, caminhou e caminha sempre nessa direção, trabalhando para promover cada vez mais os valores do movimento e garantir o desenvolvimento social e sustentável dos cidadãos e das regiões em que as cooperativas estão inseridas.