Investimentos na COOPERFORTE: Conservador ou Arrojado?

Após a distribuição das Sobras anuais aprovada na Assembleia Geral de 31.3.2019, a rentabilidade dos investimentos realizados na COOPERFORTE – Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo de Funcionários de Instituições Financeiras Públicas Federais Ltda., em 2018, alcançou 8,3930% ao ano, equivalente a 130,71% do CDI no mesmo período.

As aplicações financeiras são realizadas por meio de Recibo de Depósito Corporativo Indexado – RDC-i, na modalidade de depósitos a prazo, com remuneração pós-fixada equivalente a 103% do CDI e liquidez diária, observada a carência inicial de 30 dias para crédito dos primeiros rendimentos. Essa taxa é complementada anualmente com a distribuição de resultados, chamada de Sobras no mercado cooperativista, proporcionalmente aos negócios realizados pelos associados no exercício.

O resultado líquido anual da Cooperativa é revertido para os próprios associados, após a dedução das reservas legais e estratégicas, mantidas para dar solidez patrimonial à instituição. Tanto associados investidores quanto tomadores de empréstimos são beneficiários de Sobras.

Para os aplicadores, as Sobras distribuídas complementam a rentabilidade creditada ao longo do exercício, elevando a rentabilidade para patamares comparáveis àquela obtida com produtos de perfil arrojado no mercado financeiro. Para os tomadores de empréstimos, Sobras equivalem à devolução de parte dos juros pagos no exercício, tornando as taxas ainda mais competitivas.

Os depósitos a prazo realizados junto à COOPERFORTE contam ainda com garantia do Fundo Garantidor Cooperativo, FGCOOP, no valor de até R$ 250 mil por aplicador, o que traz mais segurança para quem investe.

Este ano a COOPERFORTE completa 35 anos de existência, com sólida estrutura patrimonial e oferece cada vez mais segurança aos seus 147.002 associados. Os produtos de crédito e investimentos podem ser contratados pelos canais digitais, de forma ágil e segura, com taxas competitivas e atrativas.

As linhas de crédito disponibilizadas aos associados têm prazos de até 72 meses e taxas que variam de 0,9% a 1,6% ao mês, conforme o prazo do contrato. Já as aplicações financeiras proporcionam uma rentabilidade anual de investimentos de um perfil arrojado, com a segurança de um perfil conservador.

 

Edson Monteiro

Diretor Presidente na COOPERFORTE

 

Data da publicação: 30/04/2019

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

O que você achou desse conteúdo?



    Receba nosso conteúdo por e-mail

    Confira, em primeira mão, todas as novidades, notícias e informações sobre o universo do cooperativismo.
    ©CONFEBRAS | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS