Fintechs e o cooperativismo financeiro

As empresas emergentes agregam a assertividade do serviço simplificado via plataforma mobile ao segmento cooperativo de crédito

As startups são empresas com bases tecnológicas em fase de desenvolvimento, formada por um grupo de pessoas com uma ideia em comum, que trabalham em prol da inovação e do aperfeiçoamento de sistemas ou pensamentos já existentes. Pode-se citar como exemplos de organizações que começaram com o sistema de startup: o serviço de transporte do Uber, o meio online e comunitário de hospedagem Airbnb e a mídia social voltada para profissionais, Linkedin.

As empresas emergentes, startups, dispõem de informações e serviços financeiros em plataformas digitais, que reúnem atributos para atender expectativas de um público cada vez mais hightech, tendo como potencial a facilitação operacional das organizações. Ambos segmentos possuem um propósito em comum: a democratização das tarefas bancárias por taxas justas e, analisando essa missão, considera-se que as fintechs indicam uma possível parceria com as cooperativas de crédito.

Embora ainda haja insegurança em prosseguir com os investimentos, a união entre a modalidade tecnológica e o cooperativismo de crédito impulsiona um mundo equitativo, na medida em que aborda o capital de maneira simplificada para construção de soluções entre categorias profissionais.

Em plena era pós-digital, a intensificação da influência tecnológica nos serviços cooperativistas financeiros reflete alguns cases apresentados ainda em 2017, quando o sistema Sicoob, maior conglomerado cooperativista financeiro do Brasil, foi reconhecido nas categorias – Canais, Automação em Cooperativa e Plataforma de Informação – no Prêmio XVII efinance 2017, devido a sua ascendência digital. Objeto dessa premiação foi a Plataforma Digital Sisbr (Sistema de Informática do Sicoob) que agrega o Mobile Banking, Plataforma de Crédito Rural, Sicoob Faça Parte e o Sicoob Conta Fácil, um conjunto de soluções robustas de automação bancária, dotada de 40 módulos integrados que faz o controle financeiro, contábil, operacional e dos processos de apoio à decisão das instituições financeiras vinculadas ao Sicoob.

A progressão digital está abrindo o caminho para essas instituições, tornando-as aliadas aos mesmos princípios que regem as cooperativas de crédito, e por esse motivo, ambas as modalidades podem atuar em conjunto, criando referências fortes uma para a outra. Um sistema fortalece o outro quando seguem a mesma linha de raciocínio e caminham sob a batuta do mesmo propósito: oferecer serviços financeiros assertivos e mais justos.

Em face do exposto, a tecnologia e os avanços digitais favorecem, em todos os aspectos, o sistema cooperativo de crédito. Nota-se que o mundo segue a linha de avanço das interações, e essas transformações se devem ao recurso digital, especialmente na criação das startups.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

O que você achou desse conteúdo?



    Receba nosso conteúdo por e-mail

    Confira, em primeira mão, todas as novidades, notícias e informações sobre o universo do cooperativismo.
    ©CONFEBRAS | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS