Confebras participou do III Fórum de Cidadania Financeira realizado em Vitória-ES.

Nos últimos dias 07 e 08 de novembro, o Banco Central do Brasil, em parceira com o Sebrae e o Governo Federal, realizou, em Vitória – ES, o III Fórum da Cidadania Financeira, evento que contou com mais de 800 participantes.

O Fórum teve a participação de palestrantes e executivos do Sistema Financeiro Nacional, que compartilharam conhecimentos em 10 painéis de debates sobre Inclusão Financeira e Microfinanças, tendo o Cooperativismo de Crédito com papel de destaque nas discussões, notadamente no que se refere ao desenvolvimento das comunidades e o acesso ao crédito dos desassistidos do sistema bancário. Outro tema que centralizou atenções foi o impacto social da transformação digital para o microcrédito e produtos financeiros voltados às pequenas empresas.

O painel “Lançamento das diretrizes para o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC)”, que ocorreu no dia 08 novembro de 2017, teve como objetivo apresentar os desafios do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), debater as diretrizes traçadas para superá-los, além de apresentar o planejamento estratégico do Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito – FGCoop, para o horizonte estratégico 2018-2022. Este tema teve a participação de Moacir Krambeck, Diretor da Confebras, que aproveitou a ocasião para anunciar o tema e a data definitiva do 12º CONCRED, em Florianópolis.   

Aproveitando a presença das lideranças do Cooperativismo de Crédito, em Vitória-ES, realizou-se também, no dia 8, na Sede do Sicoob Espírito Santo, a reunião ordinária do Conselho Especializado de Crédito da OCB – CECO. Nesse encontro, a Confebras, por meio do seu Presidente Kedson Macedo, apresentou às lideranças presentes o Projeto de Certificação dos Profissionais do SNCC. Trata-se de proposição voltada ao contínuo desenvolvimento dos dirigentes e conselheiros que atuam nas diversas instituições cooperativistas no âmbito do SNCC, e que tem como inspiração o artigo 3º da resolução nº 4.538, do CMN, que dispõe sobre:
“A política de sucessão de administradores deve abranger processos de recrutamento, de promoção, de eleição e de retenção de administradores, formalizados com base em regras que disciplinem a identificação, a avaliação, o treinamento e a seleção dos candidatos aos cargos da alta administração, considerando, no mínimo, os seguintes aspectos: I – condições para o exercício do cargo exigidas pela legislação e pela regulamentação em vigor; II – capacidade técnica; III – capacidade gerencial; IV – habilidades interpessoais; V – conhecimento da legislação e da regulamentação relativas à responsabilização de qualquer natureza por sua atuação; e VI – experiência.”

A ideia central do projeto é disponibilizar, a exemplo do que já existe em outros segmentos do mercado, um processo de Certificação ancorado na valorização da experiência notória (vivência e participação) e formal (acadêmica) de maneira independente, mas complementar à educação continuada disponibilizada atualmente por diferentes fontes. A filosofia da proposta é simples: Quem Capacita, não certifica. Quem Certifica, não Capacita. Nesse cenário, as diretrizes da Confebras permeiam-se em estruturá-la com base nos processos participativos entre a Confederação e os parceiros integrantes do SNCC.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

O que você achou desse conteúdo?



    Receba nosso conteúdo por e-mail

    Confira, em primeira mão, todas as novidades, notícias e informações sobre o universo do cooperativismo.
    ©CONFEBRAS | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS