Sicredi Pioneira RS fomenta o desenvolvimento do agronegócio

Cooperativa atingiu o volume de R$ 200 milhões em crédito rural.

Contribuir com o desenvolvimento das atividades rurais de forma sustentável, econômica e ambientalmente, valorizar o pequeno agricultor e fomentar o agronegócio são os objetivos da Sicredi Pioneira RS. E estes objetivos vêm sendo alcançados ano após ano, possibilitando o encerramento deste ano com a marca de R$ 200 milhões liberados em crédito rural nos seus 21 municípios de atuação.

Disponibilizados para o custeio, investimentos e comercialização de produtos, a agricultura familiar é uma das mais contempladas com as linhas de crédito, principalmente no âmbito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).
“Foram 3.993 operações e com isso podemos concluir que nosso associado está buscando a modernização ou a ampliação do seu negócio e nós ficamos satisfeitos em podermos contribuir para o seu crescimento”, afirma assessor de agronegócio da Sicredi Pioneira RS, Gustavo Mallmann, que destaca o aumento de 27,05% no total de liberações em relação a 2015.

Márcio Port, Presidente da Pioneira, enfatiza que todos os associados que possuem na agricultura ou pecuária o seu negócio, podem contar com a cooperativa para crescer.  “As linhas de crédito rural foram desenvolvidas para atender os diferentes anseios da comunidade”.

Além das linhas de crédito rural, a Sicredi Pioneira também apoia os agricultores na sua profissionalização. A cooperativa oferece o apoio de 50% no valor dos cursos para os agricultores interessados em se profissionalizar nos Centros Regionais de Qualificação Profissional de Produtores Rurais do estado, coordenado pela Emater/RS.

Mais informações sobre o crédito rural e o apoio oferecido na realização dos cursos podem ser obtidos em qualquer agência da Sicredi Pioneira RS.

Finalidades do crédito rural:

Custeio: destina-se para cobrir despesas normais dos ciclos produtivos. Exemplos: mão de obra para plantio, sementes para plantio de culturas anuais, aluguel de máquinas para colheita.

Investimento: destina-se à aquisição de bens e serviços que se estendam em vários períodos de produção. Exemplos: compra de pulverizador, aquisição de trator, construção de silo, aquisição de matrizes bovinas.

Comercialização: destina-se a cobrir despesas próprias da fase imediatamente posterior à colheita. Exemplos: despesas da fase imediata após a colheita, armazenamento dos produtos para venda futura.

Crédito da foto: Mauro Stoffel | Divulgação Sicredi Pioneira RS

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

O que você achou desse conteúdo?



    Receba nosso conteúdo por e-mail

    Confira, em primeira mão, todas as novidades, notícias e informações sobre o universo do cooperativismo.
    ©CONFEBRAS | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS